Cira traça estratégias de ações para o segundo semestre

O Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (Cira) definiu nesta semana as ações estratégicas para o segundo semestre deste ano, cujo objetivo é intensificar o combate aos sonegadores fiscais no estado. Entre as deliberações tomadas na última terça-feira, dia 31, e confirmadas ontem, dia 2, estão a deflagração nos próximos dias de operações articuladas, o reforço da estrutura operacional do Comitê e a instauração de procedimentos investigatórios criminais, com prioridade para os contribuintes com débitos declarados e não pagos (os chamados “omissos”), que podem culminar em processos criminais, prisões e bloqueio de bens e valores dos acionados.

Segundo o secretário-geral do Comitê, procurador de Justiça Geder Gomes, foi deliberado que dois promotores de Justiça do Grupo de Atuação Especial de Combate à Organizações Criminosas (Gaeco) atuarão, temporariamente, também no Grupo de Atuação Especial de Combate à Sonegação Fiscal (Gaesf), cujos integrantes são o braço operacional do Comitê na esfera criminal junto à área de inteligência da Secretaria da Fazenda (Sefaz) e da Polícia Civil. Foi deliberado ainda que a estrutura operacional terá ampliação de policiais civis e militares.

Participaram da primeira reunião, no dia 31, realizada na sede do Cira, Geder Gomes e todos os promotores de Justiça com atuação na área de sonegação fiscal no estado. Ontem, dia 2, reuniram-se o secretário estadual da Fazendo e presidente do Cira, Manoel Vitório; o desembargador Lidivaldo Brito; o secretário-geral do Comitê, Geder Gomes; a promotora de Justiça Ana Emanuela Rossi Meira, coordenadora do Gaeco e do Gaesf; a promotora de Justiça do Gaesf, Vanezza Bastos Rossi; o procurador-geral do Estado, Paulo Moreno; o assessor jurídico do MP, Renato Mendes; e procuradores do Estado.

Assessoria de Comunicação