Ações no interior intensificam enfrentamento à sonegação fiscal no Estado

Redator: Milena Miranda – Jornalista

Com o objetivo de estabelecer uma maior conexão entre a atuação do Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (Cira) na capital e nas unidades descentralizadas do interior, foi realizada na última terça-feira, dia 26, uma reunião no Cira de Feira de Santana. Presidido pelo procurador de Justiça e secretário-geral do Cira, Geder Rocha Gomes, o encontro faz parte do planejamento do Cira para 2019 e contou com a presença dos promotores de Justiça Hugo Casciano de Sant’Anna, coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate à Sonegação Fiscal e aos Crimes contra a Ordem Tributária (Gaesf); e Cláudio Jenner.

“Os Ciras Regionais de Feira de Santana e Vitória da Conquista foram constituídos como unidades autônomas com o intuito de promover uma atuação descentralizada das atividades de enfrentamento à sonegação fiscal no Estado”, destacou o procurador de Justiça Geder Gomes. Na ocasião foram discutidas a necessidade de elaboração de um calendário de reuniões periódicas do Cira Regional e a realização de oitivas nos procedimentos que tratam de sonegadores contumazes. Os representantes da Sefaz apresentaram um estudo sobre alguns sonegadores, que está sendo acompanhado pelo Cira de Feira de Santana. Também foi discutida a possibilidade de realização de um curso de capacitação com a participação de palestrantes de fora do Estado que possuem expertise na área, com o objetivo de promover o aperfeiçoamento da equipe do Cira. A próxima reunião estratégica está prevista para ocorrer em abril no Cira de Vitória da Conquista.

Também participaram do encontro Humberto Nogueira, juiz assessor especial da presidência do Cira da capital; Sheilla Meirelles, da Sefaz em Salvador; e Renato Mendes, assessor jurídico do MP; além de integrantes do Cira de Feira de Santana: Janmes Barbosa da Silva, coordenador da Secretaria Municipal da Fazenda (Sefaz); Wagner Gonçalves, diretor da DAT Norte/Sefaz, Saulo Emanuel, da Procuradoria Geral do Estado da Bahia (PGE) e Valfredo Novais do Cira.